Postagens

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Apocalipse 11:1-2

Texto: “Deram-me um caniço semelhante a uma vara de medir, e me foi dito: "Vá e meça o templo de Deus e o altar, e conte os adoradores que lá estiverem. Exclua, porém, o pátio exterior; não o meça, pois ele foi dado aos gentios. Eles pisarão a cidade santa durante quarenta e dois meses” (Ap 11:1-2,NVI).

No capítulo anterior aprendemos que há um período no fim da história entre o fim das profecias de tempo de Daniel e o fim da provação. Durante este período haverá uma proclamação final do evangelho no contexto dos livros apocalípticos como Daniel e Apocalipse. Esta passagem adiciona outro elemento a esta proclamação, o evangelho final a ser proclamado nos últimos dias inclui uma mensagem sobre o santuário celestial que inclui um sério julgamento pré-advento que mede os professos seguidores de Deus. Daniel, Apocalipse e julgamento não são em si mesmos o evangelho, mas eles provêm uma mensagem valorada com particular relevância para o fim do tempo. O valor agregado foi designado para provocar prontidão para o retorno de Jesus. Mas o evangelho é a chave. Se você não sabe como acertar-se com Deus, não importa o que você sabe sobre Daniel e Apocalipse (1Co 13:2). Assim o Apocalipse precisa ser lido em equilíbrio com outras mensagens da Bíblia.

Para dar sentido a esta passagem necessita-se conhecer algo sobre as descrições do santuário/templo no Antigo Testamento. Isto está claro na palavra grega “templo” (naos) no verso 1, lembrando a linguagem do tabernáculo e do templo no AT. Enquanto a palavra naos pode se referir à todo o complexo do templo, incluindo o pátio exterior (normalmente a palavra hieron é usada para o todo), ela normalmente focaliza a parte mais interna do templo, os lugares santos ou, mais frequentemente, o próprio Santíssimo. Jesus era encontrado frequentemente ensinando ou agindo no hieron (Mat 21:12, 23; Mc 11:11, 15; Lc 19:45; e Jo 7:14, para mencionar apenas algumas poucas ocorrências), mas poucos entravam nos recintos mais interiores do templo e apenas o Sumo Sacerdote entrava no Santo do Santos e isso apenas uma vez por ano.

O santuário hebreu foi disposto como dois quadrados lado a lado. O quadrado do lado direito (ocidente) era o pátio exterior, que incluía o altar de holocaustos (para os sacrifícios animais) e a pia (um recipiente para abluções cerimoniais). O tabernáculo propriamente estava no quadrado do lado esquerdo e era dividido em duas partes, o lugar santo com seu candelabro, a mesa dos pães da preposição e o altar de incenso, e o lugar santíssimo contendo a arca da aliança e a presença viva de Deus. No centro do pátio exterior estava o altar de holocaustos. Bem no centro do quadrado do tabernáculo estava a arca da aliança.

No templo de Herodes (aquele conhecido e experimentado por Jesus e Seus discípulos), contudo, o pátio exterior era parte dos recintos mais interiores do templo, proibido para os gentios, mesmo que estivesse do lado de fora. Fora dos recintos mais interiores do templo estava um grande Pátio dos Gentios, no qual nenhuma atividade ritual tinha lugar, mas as pessoas se encontravam e conversavam, aulas poderiam ser dadas e nos dias de Jesus, negócios relacionados aos sacrifícios do templo eram conduzidos. Assim o templo de Herodes era um complexo mais extensivo do que o tabernáculo hebreu original.

De acordo com Apocalipse 11 o pátio exterior não deveria ser medido, apenas o próprio templo deveria ser medido. Isto contrasta com Ezequiel, onde todo o complexo do templo é medido (Ez 40:17-19). Tudo isso levanta a questão: qual “pátio externo” está em vista neste texto – o pátio externo do tabernáculo, com o altar e a pia, ou o Pátio dos Gentios no templo de Jerusalém?

Que altar está em vista aqui: o altar de incenso (que estava no Lugar Santo) ou o altar de holocausto (que estava fora do tabernáculo, mas dentro do complexo maior do templo de Jerusalém no primeiro século)? Por implicação, que “pátio exterior” está em vista aqui, aquele do tabernáculo hebreu ou o Pátio dos Gentios no templo de Herodes?

O pátio exterior desta passagem é “dado aos gentios”. Isso poderia sugerir que o templo de Herodes está em vista, porque no templo de Jerusalém, o pátio exterior do complexo interior do templo (a porção fora do recinto original do santuário, com o altar e a pia) era proibido para os gentios. Eles eram permitidos apenas no Pátio dos Gentios, que estava fora da área na qual todos os rituais do templo aconteciam. Por outro lado, se nos limitamos à evidência do Antigo Testamento (que as referências constantes de João sugerem como primárias em sua mente), o termo grego “pátio exterior” (aulên) é usado apenas para a porção fora do recinto do tabernáculo (Êx 27:1-19; LXX até 38:1-20; Êx 40:29-33; LXX até Lv 6:16 e 26; Lv 8:31) e o mesmo local no templo de Salomão (1Cr 28:6; 2Cr 24:21; cf. Mt 23:35; em 1Rs 28:6 a localização de aulên é ambígua). 2 Crônicas 4:9, por outro lado, sugere que o templo de Salomão pode ter tido dois “pátios exteriores” (aulên) como o templo de Herodes, o “Pátio dos Sacerdotes” e o “Grande Pátio”. O templo de Ezequiel também tinha um pátio interno e um externo (várias formas de aulê na LXX). Assim a questão sobre qual altar e pátio exterior está em se João estaria pensando no tabernáculo mosaico ou no templo de Herodes, que pode ter sido algo baseado em Ezequiel. É a opinião de Stefanovic e minha que o pátio mosaico é a referência provável. Uma vez que os gentios eram permitidos no Pátio dos Gentios, seu pisoteamento não seria digno de menção aqui. Uma “invasão” do pátio interior, por outro lado, seria dramático e chocante e apenas uma tal invasão ocorreu com o saque do templo por Tito algumas décadas antes do Apocalipse.


O altar no verso 1 deve ser o altar de incenso (Êx 28:43; 30:1-10 etc.), uma vez que o altar de holocausto (Êx 27:1-8 etc.) estava localizado no pátio exterior e esta parte do complexo do templo é excluída da medição no verso 2. O altar de incenso estava normalmente localizado no lugar santo (mas cf. Hb 9:1-5), o primeiro e maior dos dois aposentos sagrados dentro do templo. Este altar é descrito em mais detalhes em Apocalipse 8:3-5.

Publicado originalmente por Jon Paulien.

Traduzido por Clacir Virmes Junior.

Nota: Para saber um pouco mais sobre esse comentário, leia aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails